10 de Maio de 2019

Carro

Customização de carros: saiba o que é ou não permitido pela lei

Tornar o carro mais bonito ou potente é o desejo de muitos motoristas. A customização – através da instalação de equipamentos ou de alterações na parte externa, interna e mecânica – é muito popular no setor automotivo.

No entanto, é bom lembrar que algumas modificações não são permitidas. Por isso, para evitar problemas futuros, é necessário verificar se as modificações pretendidas estão dentro da legislação.

Veja o que pode e o que não pode ser feito:

Suspensão: modificar a suspensão é permitido apenas quando esta é trocada por sistemas fixos. As alterações com o intuito de rebaixar o carro são proibidas.

Kit aerodinâmico: os kits aerodinâmicos, compostos por aerofólio, saias e spoilers traseiros e laterais, são considerados uma modificação de estética, portanto, são permitidos.

Motor: este pode ser modificado com ganho máximo de 10% da potência, já que a estrutura do veículo foi desenvolvida para suportar certo limite de velocidade.

Cor: seja através de pintura, envelopamento ou adesivação, a mudança da cor é permitida, mas devem-se fazer os trâmites para alteração desta informação nos documentos.

O envelopamento automotivo, inclusive, pode ser uma excelente opção para proteger a pintura. Para isso, conte com a Película Líquida da Mundial Prime.

Som: colocar som no veículo é permitido, mas seu volume deve estar de acordo com a legislação, não ultrapassando 104 decibéis.

Vidros: as modificações nos vidros referem-se às películas. Elas são permitidas, mas existe um limite para o escurecimento. O mínimo de transparência requerido é de 75% no vidro da frente, 70% nas laterais e 28% no vidro traseiro.

Faróis: os veículos que saem da linha de montagem com faróis de xenônio podem rodar com eles normalmente, do contrário, seu uso é proibido.

Rodas e pneus: as rodas e os pneus não podem apresentar dimensões que ultrapassem os limites do para-lamas.

Além de conferir se as modificações que pretende fazer são permitidas, o proprietário do carro ainda precisa regularizar as alterações junto ao Detran do seu estado.

Segundo o Código Brasileiro de Trânsito, rodar em veículos alterados sem a documentação necessária acarreta multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira.

Veja também: Ar-condicionado e potência do motor: existe mesmo influência?